AESL aposta na proximidade e nas acessibilidades

AESL aposta na proximidade e nas acessibilidades

Carlos Alves

Carlos Alves foi reeleito no passado dia 28 de janeiro, como presidente da AESL – Associação Empresarial Serra da Lousã.

A lista vencedora era uma lista de continuidade, mantendo-se também como Presidente da Assembleia Geral o Professor José Redondo e como Presidente do Conselho Fiscal, o Engenheiro Américo Duarte.

Os Órgãos reeleitos abraçam este mandato com a missão de reforçar a posição da AESL enquanto estrutura empresarial forte, coesa e abrangente, empenhada na defesa e promoção dos interesses das empresas e dos seus associados

 

 

Os Associados

 

Segundo Carlos Alves, “a grande aposta da AESL será a de aumentar a relação de proximidade com os associados, proporcionando condições para que estes possam dinamizar e potencializar o seu negócio tornando-os assim mais fortes e mais competitivos.”

Atualmente a AESL conta com cerca de 250 sócios e tem como objetivo trabalhar para aumentar significativamente esse número. É fundamental perceber que quanto maior for a ação coletiva melhores são os resultados para os agentes envolvidos.

De acordo com o Presidente Carlos Alves, “Para este ano de 2019, está prevista a realização sessões de esclarecimento e workshops como forma de informar e capacitar as empresas. Bem como a reedição dos eventos “Lousã Outlet” e “Aqui Há Natal”, que no ano de 2018 resultaram muito bem e conferiram oportunidade para as empresas aumentarem a visibilidade dos seus negócios.”

“É para nós muito importante que as empresas se identifiquem com a AESL, com o trabalho que está a ser desenvolvido em prol do setor empresarial. É crucial que os empresários vejam a AESL como um parceiro que caminha lado a lado com os seus interesses.” Refere Carlos Alves.

 

 

Reforço das Parcerias Locais e Nacionais

 

Para uma proximidade com as empresas e com os associados e na defesa dos seus interesses e anseios, a AESL procura ter um papel mais ativo em eventos locais, nomeadamente Festivais e Demonstrações Empresariais, reforçando a parceria com os agentes locais.

É também fulcral manter e reforçar as parcerias nacionais e locais quer seja com a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal, o Conselho Empresarial do Centro, Confederação do Turismo Português, parceiros institucionais e associações congéneres.

 

 

Acessibilidades

 

Uma das grandes lutas da AESL em conjunto com diversas entidades locais e nacionais prende-se com as acessibilidades, nomeadamente a ligação do IP3 à A13 a sul do Mondego e o Sistema de Mobilidade do Mondego.

“A falta de acessibilidades condiciona fortemente o desenvolvimento e a competitividade das empresas. É um dos obstáculos que tem conduzido a muitos dos problemas do tecido empresarial desta região” referiu Carlos Alves acrescentando que “a AESL vai continuar atenta e com uma atitude exigente às promessas feitas pelo Governo, nomeadamente a promessa do Metro Bus ser uma realidade em 2021.”

“Relativamente à ligação IP3/A13 sentimo-nos esquecidos pelo poder político, pois mais uma vez nos colocam em completa desvantagem com outras regiões. Assim manteremos de forma muito ativa a luta para a ligação rodoviária entre o IP3 e a A13 a sul do Mondego, pois esta é estruturante para o desenvolvimento da nossa região.

Apelamos a toda população para que se junte a esta causa, pois só todos juntos e em sintonia poderemos sensibilizar quem decide que esta obra é uma urgência e fulcral para o desenvolvimento para o pinhal interior.”

São estes os grandes desafios que a AESL se propõem para o triénio de 2019-2021, que agora inicia.

51270225_2333821390184306_5125137414360137728_n

dc21